Pandemia agrava doenças neurológicas com demora na procura por atendimento médico

Pandemia agrava doenças neurológicas com demora na procura por atendimento médico  


Neurocirurgião alerta para a importância de buscar auxílio aos menores sintomas neurológicos


A pandemia do novo coronavírus tem uma mensagem clara: fique em casa. Um dos efeitos colaterais desta importante medida foi a diminuição na procura por atendimento médico, causando o agravamento de doenças, em especial daquelas relacionadas ao sistema neurológico.

O neurocirurgião Marcelo Prudente do Espirito Santo, do Instituto de Neurocirurgia Minimamente Invasiva e médico assistente da Divisão de Neurocirurgia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, indica dados da Confederação Nacional de Saúde, que identificou a queda de 70% na procura por serviços na área oncológica e de 50% na demanda por leitos clínicos em outras especialidades.

“Com medo de se expor ao coronavírus, os lugares que as pessoas mais evitam são hospitais e clínicas. Esse comportamento tem feito com que elas ignorem sintomas importantes ou adiem tratamentos, agravando doenças sérias”, explica.

Marcelo Prudente alerta para a importância de se buscar auxílio médico e manter os tratamentos, pois hospitais e clínicas têm fluxos organizadas para evitar o contato entre pacientes com suspeita de Covid e aqueles ‘não-Covid’, sendo seguro procurar atendimento em casos de sintomas que merecem atenção.

“Os sintomas neurológicos podem ser insidiosos e não causam alarme. Muitas pessoas com sintomas menos intensos procuram serviço médico apenas quando eles se intensificam, assim como as doenças. E são momentos em que tumores estão maiores, doenças já estão em estágios avançados, aumentando a complexidade das cirurgias e dos tratamentos.”

SINTOMAS QUE MERECEM ATENÇÃO

  1. Dores de cabeça de início recente ou mudança de característica em dores de cabeça usuais como aumento da intensidade, da frequência ou despertar noturno com dor.
  2. Sintomas motores como dificuldade de equilíbrio, mudanças no padrão do caminhar, dificuldade para executar atividades motoras usuais como se alimentar ou abotoar a roupa.
  3. Vertigens de início recente, em especial as acompanhadas de náusea.
  4. Sintomas visuais: perda rápida da visão, perda de “campos de visão”, turvação visual, enxergar “duplo”, desvios dos olhos.

Dr. Marcelo Prudente do Espirito Santo

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1988-1993) com residência médica em Neurocirurgia pela Divisão de Neurocirurgia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1995-2000). Realizou curso de aperfeiçoamento em Neurocirurgia Minimamente Invasiva pela University of Pittsburgh School of Medicine (2008), onde foi Visiting Scholar.

Tem título de Especialista em Neurocirurgia pela Sociedade Brasileira de Neurocirurgia e é International Member do Congress of Neurological Surgeons. Foi diretor da Liga de Combate à Epilepsia de junho de 1992 a junho de 1993 e é fundador da Liga Acadêmica de Neurocirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (1997).

Desde 2000, é médico assistente do Departamento de Neurologia/Divisão de Neurocirurgia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, onde atua na Equipe de Emergência da Divisão de Clínica Neurocirúrgica e no Grupo de Neurocirurgia da Base do Crânio.

Instituto de Neurocirurgia Minimamente Invasiva | www.inmi.com.br

 

                                                     CH2A Comunicação | @ch2acomunicação

Direção: Alessandra Casolato – alessandra.casolato@ch2a.com.br

Coordenação: Magaly Corgosinhocoordenadoria@ch2a.com.br

Telefone * WhatsApp: +55 11 9 7641.7472

Deixe um Comentário